terça-feira, 10 de maio de 2016

Georges-Levy G.L. 40


11 de março de 1920




 Georges Levy GL.40 -  O hidroavião fez uma amaragem de emergência na costa portuguesa, tendo feito um pedido de socorro através de um pombo correio apanhado na região de Montemor o Velho numa altura de greve dos correios. Desapareceram sem mais serem encontrados o 2º tenente Alberto Augusto Xavier, o 1º Fogueiro Manuel Dias e o 1º Artilheiro José Laranjinha.




Notícia do Jornal A Capital





Créditos: Jornal A Capital, Hemeroteca Digital CM Lisboa e outras fontes

Tellier T.3

23 de agosto de 1918


Tellier T.3 - O Hidroavião com a matrícula nº 5 caiu no mar junto a Cascais, vitimando o 2º Tenente Eduardo Francisco de Azevedo e Vasconcelos e o 1º Grumete Joaquim Augusto de Passos Ferreira.

Embora existissem suspeitas de ter sido abatido por aviões ou barcos alemães, tudo aponta para uma explosão no motor.



Noticia do Jornal A Capital




Créditos: Jornal a Capital, Hemeroteca Digital CML e outras fontes

Spad S7



20 de novembro de 1917

no dia 19 de novembro o SPAD S7, com a matrícula S7C1 4268, foi derrubado em combate aéreo por um avião alemão, em França na região de Chemin des Dames, no decurso da primeira guerra mundial, tendo falecido o Capitão Óscar Monteiro Torres após ter abatido dois aviões alemães.

Recolhido pelas forças inimigas vem a falecer no dia seguinte dado os graves ferimentos que sofreu.

 
 
9 de abril de 1921
 
Um SPAD S7, caiu perto de Regueiro de Pontes - Leiria, provocando o acidente a morte do piloto Tenente Coronel Castilho Nobre. Este acidente deu-se aquando da trasladação do corpo do soldado desconhecido para o Mosteiro da Batalha.
 
23 de maio de 1921
 
Um SPAD  S7, com o número 6 da Aeronáutica Militar, despenhou-se em Elvas, provocando a morte ao seu piloto Alferes David Simões e do 2º Sargento Mecânico António Gomes da Costa.
 
Créditos: Sites; Portuguese Fighter Colours 1919-1056 - Luis Armando Tavares e Armando Jorge Soares; Aeronaves Militares Portuguesas no Século XX - Adelino Cardoso; jornais Diário de Lisboa e a Capital.


Farman F-40

08 de setembro de 1917

O Farman F-40 - Matrícula F-3, recém chegado a Moçambique foi destruído em colisão contra o terreno em Mocímboa da Praia com a morte do Alferes Jorge Gorgulho. É historicamente referido como a primeira vitima mortal na história da aviação militar em Portugal.





07 de dezembro de 1917




Farman F-40


O Farman F-40 tripulado pelos Tenente António Caseiro e Tenente Coronel Martins Lima é atingido por disparos de armas ligeiras em Lisboa, na zona do parque Eduardo II, tendo caído perto do Areeiro. Na queda faleceu o Tenente Coronel Martins Lima, o piloto Tenente António Caseiro ficou ferido com gravidade, tendo acabado por falecer no dia 13 de dezembro no hospital da Marinha em Lisboa.



Jornal A Capital 

Jornal A Capital 



Créditos: Jornal a Capital; Hemeroteca Digital CML; Aeronaves Militares Portuguesas; Adelino Cardoso; Arquivo Digital Força Aérea; Site Wings Pallet; Blogue Ex-OGMA e outras fontes na Internet

Bristol Blenheim

11 de agosto de 1944 Uma esquadrilha de 8 bimotores Bristol Blenheim da Aeronáutica Militar Portuguesa, deslocava-se sobre o rio Tejo naq...